Pesquisar este blog

domingo, 27 de agosto de 2017

A Torre Negra

Stephen King é um dos autores mais adaptados para o cinema da história. Ao longo de mais de quatro décadas, foram mais de 40 versões de seus livros que ganharam vida nas telas do cinema ou da TV, sendo que alguns se tornaram clássicos, como O IluminadoConta Comigo e Um Sonho de Liberdade. Curiosamente, levou mais de 30 anos para que sua franquia literária de maior sucesso ganhasse a vida em Hollywood.

Lançada em 1982, a saga de livros A Torre Negra é um caso raro de continuações na carreira de King. A obra sempre chamou a atenção de diretores e produtores cinematográficos, que tentam adaptar a mesma há mais de 20 anos. Foram inúmeros os projetos cancelados ao longo dos tempos. Até agora. A franquia finalmente chega nas salas de cinema com A Torre Negra.

Produzido por Ron Howard - que por anos esteve envolvido no projeto como possível diretor -, o novo longa é uma adaptação para os dias de hoje do primeiro livro "O Pistoleiro". A ideia da Sony é produzir filmes e até uma série de TV seguindo a história, embora isso esteja longe de ser confirmado, uma vez que os números do novo longa estão bem longe de serem excepcionais.

A trama gira em torno de Jake (Tom Taylor), um jovem garoto que vive com a mãe e o padrastro em Nova York. Ele sempre foi uma criança feliz, mas de uns tempos para cá começou a ter um sonhos estranhos, mas muito realistas. Ele sonha sobre um mundo paralelo, em que o temido Homem de Preto (Matthew McConaughey) tenta derrubar a Torre Negra e acabar com a última linha de defesa do universo. A única pessoa que pode impedi-lo é o Pistoleiro (Idris Elba), um sujeito atormentado pelo passado, que pensa mais em sua própria vingança do que nos problemas do mundo. Com o tempo, Jake vai descobrindo que seus sonhos são reais e que ele mesmo está sob a ameaça do Homem de Preto.

Baseado em uma obra literária complexa, o filme, no entanto, é bem simples. E, pior, completamente genérico. A verdade é que estamos diante de apenas mais uma aventura de ficção/fantasia. Não oferece nada de novo e investe em clichês mais que conhecidos da sétima arte e do cinema infanto-juvenil. Aí está outra questão, ao contrário da maioria das adaptações de King, que seguem um tom mais adulto, aqui estamos diante de uma obra mais amigável para o público mais novo.

Escrito por quatro profissionais (o que nunca é um bom sinal), o roteiro é falho, simplório e por vezes desinteressante. É salvo em alguns momentos pelo visual bem desenvolvido e por um elenco talentoso, em especial Elba, que cria um personagem repleto de camadas, independentemente do texto.

A direção de Nikolaj Arcel também não ajuda. Conhecido pelo trabalho em O Amante da Rainha, ele faz sua estreia em Hollywood com um grande filme de estúdio. Sem personalidade, a direção é tão genérica quanto a trama em si. Pelo visto, 35 anos não foram o bastante para se maturar uma adaptação de A Torre Negra. Se a franquia continuar, resta esperar que o time envolvido se esforce para construir um universo com mais apelo.

Fonte: AdoroCinema

sábado, 26 de agosto de 2017

Onda de rejeição alcança até ministros do Supremo

Repúdio ao Executivo e Legislativo chega ao Judiciário, revela pesquisa Ipsos; apenas Moro e Joaquim Barbosa mantêm índice elevado, apesar de queda de aprovação

A onda de rejeição a políticos e autoridades públicas já não se limita ao governo e ao Congresso e chegou com força ao Poder Judiciário e ao Ministério Público. Pesquisa Ipsos mostra que, entre julho e agosto, houve aumento significativo da desaprovação a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Até o juiz Sérgio Moro enfrenta desgaste: apesar de seu desempenho ainda ser majoritariamente aprovado pela população, sua taxa de rejeição está no nível mais alto em dois anos.

A pesquisa avaliou a opinião dos brasileiros sobre 26 autoridades de distintas esferas de poder, além de uma celebridade televisiva, o apresentador de TV Luciano Huck. Quase todos estão no vermelho, ou seja, são mais desaprovados do que aprovados. As exceções são Huck, Moro e o ex-presidente do Supremo Joaquim Barbosa. Os dois últimos são responsáveis pelos julgamentos dos dois maiores escândalos de corrupção do País: mensalão e Operação Lava Jato.

Para Danilo Cersosimo, um dos responsáveis pela pesquisa, o aumento do descontentamento com o Judiciário pode estar relacionado “à percepção de que a Lava Jato não trará os resultados esperados pelos brasileiros”. Outros levantamentos do Ipsos mostram que o apoio à operação continua alto, mas vem caindo a expectativa de que a força-tarefa responsável por apurar desvios e corrupção na Petrobrás provoque efeitos concretos e mude o País. “Há uma percepção de que a sangria foi estancada, de que a Lava Jato foi enfraquecida”, disse Cersosimo.

Na lista de avaliados pelo Ipsos estão três dos 11 atuais integrantes do Supremo: Cármen Lúcia, a presidente; Edson Fachin, relator dos casos relacionados à Lava Jato; e Gilmar Mendes, principal interlocutor do presidente Michel Temer no Tribunal. Os três enfrentam deterioração da imagem.

Além de Moro e Fachin, há na lista outros dois nomes relacionados à Lava Jato: o do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da operação em Curitiba. Eles também sofrem desgastes.

Fonte: Estadão


Especialista esclarece mitos e verdades sobre o câncer de estômago

A gastrite é um fator de risco? O refluxo pode causar câncer? Veja a resposta para estas e outras perguntas

Com formato de bolsa, o estômago tem a função de armazenar os alimentos ingeridos e, a partir da produção do suco gástrico, ajudar no processo de digestão, antes de mandar para o intestino onde continua parte da digestão e os nutrientes são absorvidos.  

O câncer de estômago é mais comum a partir de 50 anos de idade, sendo o quarto tumor mais comum em homens e o sexto em mulheres. Quando diagnosticado no início têm mais de 90% de sucesso no tratamento. 

Os principais sintomas do câncer de estômago são: dificuldade de deglutição, refluxo, perda de peso, vômitos, má digestão, dor de estômago e náuseas. A endoscopia é o principal recurso para diagnosticar a doença e o principal fator de risco é a infecção pela bactéria Helicobater Pylori (H. Pylori).

O Dr. Felipe Coimbra, Diretor do Núcleo de Cirurgia Abdominal do A.C.Camargo Cancer Center, esclarece alguns mitos e verdades sobre a doença:

Se eu tiver H. Pylori é certeza que terei câncer de estômago

Mito. Na população brasileira há um alto número de indivíduos com H. Pylori, mas a porcentagem de pessoas que irá desenvolver o câncer é bastante pequena. A atenção deve surgir nos casos diagnosticados com a associação da presença da bactéria e outras doenças, como a gastrite atrófica e a metaplasia intestinal, por exemplo.

Gastrite é fator de risco para o desenvolvimento de câncer

Depende. A maioria dos diagnósticos de gastrite não tem relação com o desenvolvimento de tumores, exceto a gastrite atrófica, que ocorre quando os anticorpos atacam o revestimento do estômago. Essa doença é encontrada facilmente durante um exame endoscópico. Portanto, em casos de dores no estômago persistentes, recomenda-se a avaliação de um especialista.

Refluxo gastroesofágico pode causar câncer

Depende. Quando o ácido gástrico proveniente do estômago entra em contato com o esôfago, pode alterar seu revestimento causando doenças como a esofagite, que pode aumentar o risco para o desenvolvimento de tumores. Mas nem todo refluxo gastroesofágico é fator de risco. A endoscopia é o exame recomendado para avaliar pacientes com refluxo e as possíveis complicações da doença.

Pacientes que retiraram o estômago devido a uma úlcera têm risco aumentado de desenvolver câncer

Verdade. Há cerca de 15 anos, ainda era utilizado o tratamento cirúrgico para úlcera. A forma como esse procedimento era realizado pode se tornar um fator de risco para câncer de estômago e, por isso, os pacientes operados precisam realizar um acompanhamento periódico.

Atualmente, esse problema não existe mais, pois o tratamento da úlcera é realizado por meio de medicações.  A cirurgia bariátrica, técnica de redução do estômago para emagrecimento, também não é fator de risco para o desenvolvimento destes tumores.

Existem alimentos que protegem contra o câncer de estômago

Verdade. Diferentes alimentos previnem contra os tumores de estômago. Frutas, hortaliças e legumes são protetores, mas devem ser higienizadas adequadamente antes do consumo. As frutas cítricas como laranja, acerola e abacaxi são ricas em vitamina C, antioxidante que neutraliza a ação de radicais livres. Os flavonóides, encontrados nas frutas vermelhas e no chá verde, também possuem propriedades antioxidantes. O alho, rico em alicina, tem capacidade de inibir mutações no DNA, diminuindo o risco de crescimento de células malignas.   

Existem alimentos que aumentam o risco de câncer de estômago

Verdade. O consumo freqüente de alimentos ricos em sal, processados e defumados e as conservas em geral expõem a mais risco. Assim como o baixo consumo de frutas, legumes e verduras. Excesso de alimentos não saudáveis aumenta o risco de obesidade, fator de risco importante para o câncer.

Fonte: Estadão