Pesquisar este blog

domingo, 8 de novembro de 2015

O Mundo de Platão, Neel Burton


O FILÓSOFO ESCRITO


BURTON, Neel. O Mundo de Platão, Ed. Cultrix, 2013, 231 páginas. Tradução de Mario Molina.


Muito já se escreveu sobre o filósofo grego Platão, porém, poucas obras reúnem de forma concisa e clara seus diálogos e apresentam um panorama do ambiente em que ele viveu há mais de 20 séculos. O livro escrito pelo inglês Neel Burton apresenta uma proposta diferenciada, abordando a história de Atenas até a elaboração dos famosos diálogos de Platão. Nessa trajetória consegue integrar o leitor ao ambiente da época, familiarizando-o com palavras e expressões muito utilizadas mas pouco compreendidas pelo grande público. De forma suscita, porém objetiva, explica questões pontuais da história como o surgimento da “Cidade-Estado”, as guerras persas com o famoso Leônidas e seus trezentos heróis espartanos, e as guerras do Peloponeso, que resultou no controle de Atenas, rendida, por Esparta. Além do contexto histórico, Burton apresenta os filósofos mais importantes da época pré-socrática, entre eles Tales de Mileto, Pitágoras e os sofistas, grupo de oradores e mestres especialistas em retórica, que “podiam ‘fazer o argumento mais fraco parecer o mais forte’”.



Platão foi o grande discípulo de Sócrates, que preferia a fala à escrita, e através de seus textos podemos ter uma grande ideia do que seu mentor falava, pensava e acreditava. Tratam-se dos conhecidos “diálogos” de Platão, onde Sócrates aparece como figura emblemática, posto que em diversas situações não é possível distinguir com clareza se Platão estava narrando o que Sócrates realmente disse ou se estava propagando suas próprias ideias através de um personagem.



Entre os diálogos mais famosos estão Protágoras, Apologia, O Banquete, Fédon, A República, Sofista e Político, os quais são primorosamente apresentados de forma resumida e compreensível aos leigos.



Responsável pela criação da “Academia”, escola de ciências e filosofia que sobreviveu por novecentos anos até ser fechada pelo Imperador Justiniano em 529 d.C., “Platão achava que só a filosofia pode trazer a compreensão verdadeira, porque só ela examina as pressuposições e suposições que outras matérias simplesmente tomam como certas. Ele concebeu a filosofia como uma disciplina particular, definida por uma abordagem intelectual característica e capaz de levar o pensamento humano para bem longe dos domínios do senso comum ou da experiência cotidiana. Platão criou e trabalhou sistematicamente em todos os ramos básicos da filosofia, incluindo a epistemologia, a metafísica, a filosofia da religião, a estética, a ética e a filosofia política”.



Em uma edição muito agradável aos olhos, a leitura do livro de Neel Burton é um convite para que possamos compreender mais da obra e vida do famoso filósofo ateniense, estudado até hoje e referência para toda a filosofia moderna.