Pesquisar este blog

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

EZEL - Teledramaturgia de qualidade exibida no horário nobre da Band

Por Fábio da Silva

Olá, caros leitores e seguidores! Geralmente, por volta das 20:30h, eu me recolho para realizar uma boa leitura, estudar ou escreve, mas vez por outra acompanho minha esposa no ato de assistir novela. Ai vocês devem estar se perguntando por que eu estaria postando sobre uma novela por aqui, pois bem, já me explico: a novela em questão não é uma novela qualquer, não aquelas novelas globais (com tramas descabidas e que apelam para a sexualidade), não aquelas novelas no SBT (com atuações exageradas dos atores mexicanos). Pois bem, a novela em questão é uma novela turca (aposta da Band nos últimos anos), isso mesmo uma novela europeia baseada na clássica obra do francês Alexandre Dumas, "O Conde Monte Cristo", que inclusive foi adaptado para o cinema.

Livro

Filme

Na trama, adaptada para os dias atuais, o personagem principal chamado Ezel que dá titulo a novela, foi traído por seus amigos e deixado na prisão para morrer. Em seu cárcere, ele encontra um mestre, um conselheiro que se torna seu tutor e o orienta em sua jornada de vingança. Tal como na história de Dumas, o personagem principal era um "zé ninguem", um homem simples e sem maldade, contudo o tempo na prisão e a amizade que fizera com um dos dos chefões da comunidade carcerária, o fortaleceu e proporcionou a ele certa fortuna. Retornando a liberdade, Ezel pode finalmente dar curso a sua vingança, que é desmascarar e acabar com aqueles que o trairam.

Diga-se de passagem a trama tem poucos personagens o que na minha opnião é bem melhor a nível de desenvolvimento da história que possue muitos pontos de trama (pontos de virada). Como disse certa vez uma professora minha de faculdade da qual não me recordo o nome "menos muitas vezes é mais". A novela turca consegue fazer e muito com poucos personagens. Fica aí uma boa aula para a teledramaturgia nacional, uma vez que as mulheres da minha família (esposa, mãe, sogra etc) queixam-se muito das nossas novelas seja por questões apelativas como a sexualidade, seja por questões de retratar uma realidade muitas vezes que chegam a influenciar nossos filhos negativamente "a moça da novela faz assim", ou "o ropaz respondeu daquele jeito o seu pai, por que não posso falar também desse jeito?" E até mesmo os homens (meu pai e meu sogro) só tecem elogios as produções da teledramaturgia turca.

Para quem tiver curiosidade em assistir a trama de EZEL, basta sintonizar no canal da Band, depois do jornal do Boechat por volta das 20:30h. Vale à pena conferir.