Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Os melhores livros infantis de 2016, segundo quem entende de criança

Especialistas em literatura infantil e educação recomendam os melhores lançamentos da área no ano


O ano que passou foi repleto de lançamentos interessantes no universo da literatura infantil.

Temas complexos como ditadura, nova configuração de família, refugiados e separação dos pais, por exemplo, ganharam olhares lúdicos em edições lançadas no país em 2016.

A safra de literatura infantil recém-lançada pode ser, também, uma boa alternativa de presentes para as crianças para o Natal. Para saber os maiores destaques na produção literária voltada às crianças, o Nexo conversou com as seguintes profissionais e especialistas que se dedicam ao universo da educação e literatura infantil:

Cássia Bittens, psicóloga, jurada do Prêmio Jabuti em 2013 a 2016 e criadora do projeto Literatura de Berço

Thaís Caramico, mestre em Literatura Infantojuvenil na Universidade Autônoma de Barcelona e responsável pelo projeto Bebeteca News

Sandra Medrano, pedagoga, mestre em didática da língua portuguesa e coordenadora pedagógica de projetos de formação de professores pela Comunidade Educativa CEDAC


Os livros indicados


AS CORES DOS PÁSSAROS’, DE LÚCIA HIRATSUKA (ROVELLE)

CÁSSIA BITTENS "A narrativa somada a ilustração fazem deste reconto uma obra poética. Lúcia aproximou uma fábula japonesa das crianças brasileiras, acrescentado pássaros brasileiros e não abrindo mão da precisão e suavidade das pinceladas que explodem em cores no decorrer da história.”


A DITADURA É ASSIM’, DE EQUIPO PLANTEL E MIKEL CASAL (BOITATÁ)

THAIS CARAMICO "Foi criado na Espanha, após o regime franquista, mas faz questão de permanecer atual até mesmo no título. Quando se diz que a ditadura "é" assim - imperativa, uma ordem -  é como se mesmo sem existir ela pudesse ser vista em marcas que não somem no tempo, e isso abre uma discussão ótima com as crianças. O texto ácido (ou divertido) é um jeito incrível de pensar em pontos de vistas, especialmente porque dialogam com as ilustrações que obviamente contradizem as palavras, por ironia. Tudo assim muito bem pensado, com palavras certas, surpresas, sem didatismo e, ainda por cima, com beleza.”


‘A VIAGEM’, DE FRANCESCA SANNA (VERGARA & RIBA)

CÁSSIA BITTENS  “Inspirado em relatos reais de refugiados, o livro fala sobre a travessia  de uma família  que foge da guerra em busca de um novo lar. Com ilustrações imponentes, da própria autora, e um texto primoroso.”


‘BRANCA DE NEVE’, DE JACOB E WILHELM GRIMM, RECONTO DE GIL VELOSO (EDITORA PULO DO GATO)

SANDRA MEDRANO “Em meio a tantas edições de clássicos, este livro se destaca pela qualidade da linguagem utilizada para este reconto e pelas imagens delicadas que combinam perfeitamente com o universo do contos de fadas.”


'DRUFS’, DE EVA FURNARI (EDITORA MODERNA)

CÁSSIA BITTENS  “Neste livro Eva Furnari traz um tema atual e inova nas ilustrações. Sem preconceitos e com ilustrações surpreendentes, a autora traz ao leitor a possibilidade de pensar sob nova perspectiva as famílias e relações familiares.”


‘LÁ E AQUI’, DE CAROLINA MOREYRA E ODILON MORAES (PEQUENA ZAHAR)

THAÍS CARAMICO “É um livro pequeno, como se o formato já entregasse ao leitor: pegue com carinho, abra devagar, respire lentamente ao virar as páginas, que aliás são cheias de silêncio, ora sem palavras, às vezes sem imagens.Trata a separação dos pais com metáforas delicadas, cuidadosas e líricas, tomando conta de respeitar a inteligência da criança e todas suas emoções diante de um momento delicado: os peixinhos que habitavam o lago na frente da casa foram morar nos olhos úmidos das mães.”


‘UM ABRAÇO, PASSO A PASSO’, DE TINO FREITAS E JANA GLATT (PANDA BOOKS)

CÁSSIA BITTENS “Colorido, direto e instigante, este livro é uma grande brincadeira (ou não), sobre a aquisição do andar na perspectiva do bebê.”


‘YAKUBA’, DE THIERRY DEDIEL (EDITORA GALERA JÚNIOR)

SANDRA MEDRANO “Livro com imagens fortes e história impactante. O rito de passagem, de um menino africano para tornar-se guerreiro, é o mote deste livro que traz a beleza do lado mais humano do homem, a vida. Com o uso exclusivo do preto em traços intensos, texto e imagens colaboram para envolvimento do leitor.”