Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Missão: Impossível - Protocolo Fantasma


Após atentado terrorita ao Kremlin, o agente da IMF Ethan Hunt e sua equipe são considerados os responsáveis. O incidente faz com que o Presidente do Estados Unidos dê início ao Protocolo Fantasma, que desativa toda a agência. Deixados sem qualquer recurso ou apoio, Ethan e sua equipe têm de encontrar um meio de provar a sua inocência e limpar o nome da agência. Para tal os remanescentes da IMF devem evitar um novo ataque que pode iniciar uma guerra nuclear.


Em cartaz desde dezembro do ano passado, Missão: Impossível - Protocolo Fantasma (Mission: Impossible - Ghost Protocol), traz pela quarta vez Tom Cruise na pele o agente Ethan Hunt, personagem que, na minha opinião, foi elevado ao padrão de James Bond. Diga-se de passagem, Missão Impossível foi inspirado num sériado homônimo exibido na TV entre os anos 60 e 70 e relançado nos anos 80.



Bem dirigido por Brad Bird (Os Incríveis), com locações em Dubai, Praga, Moscou, Bangalore e Vancouver, esse quarto filme da franquia apresenta, do início ao fim, uma montanha russa de cenas de ação de tirar o fôlego. Aliás, quando se pensa em Missão Impossível vem loga a imagem de Tom Cruise correndo desesperadamente, seja perseguindo os bandidos, seja fugindo deles. Vale lembrar que o astro dispensou os dublês e realizou suas cenas de ação do lado de fora do Burj Khalifa.



A equipe - composta por Jeremy Renner (Guerra ao Terror, Os Vingadores), Simon Pegg (Star Trek) e Paula Patton (Déjà Vu) - é bem entrosada e agrada ao público. Destaque também para os equipamentos de última geração que são de causar inveja a qualquer 007 - coisas que o filme esbanja, sem cansar, e que são um entretenimento a parte. O roteiro é assinado por André Nemec e Josh Appelbaum. Vale à pena ir ao cinema e conferir Missão: Impossível - Protocolo Fantasma.